sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O que fazer na lua-de-mel?

Quando me casei este blog ainda não existia, portanto não posso saber como me comportaria. Imagino que não ficaria ansioso por postar. Talvez postasse, ao final de um dia de passeios, retornando ao hotel e tendo a internet disponível. Afinal, relacionar a lua-de-mel a atividade sexual incessante me parece um exagero danado, sobretudo em nossos tempos, quando o casal já não se encontra exatamente na fase da novidade.
Por isso, a análise psicológica que a mídia vem fazendo do fato de Lucas Lima e Juliana Paes terem postado em seus respectivos blogs em plena lua-de-mel me parece um tanto quanto exagerada, mais uma concessão ao cerco a que se condenou essa casta conhecida por "celebridades".
Compulsão? Não acho que seja, necessariamente. Considero a explicação dada pela atriz até bastante plausível: após ter seu casamento tão badalado pela imprensa (reconhecimento de perda da privacidade, inclusive por culpa própria?), era razoável que ela mesma desse alguma palavra a respeito. Além do mais, ela já vivia há quatro anos com o atual marido. O que havia de tão urgente em sua vida de recém-casada que a impedisse de digitar um texto curtinho, numa folga?
A matéria que inspirou esta postagem, a meu ver, generaliza demais e, pior, enseja factoides. "Indica compulsão" já é muito amplo. E o sujeito que entra no trabalho e desata a falar de futebol, não é compulsivo também? Pior, mesmo, é apontar que "as pessoas preferem se comunicar pela internet quando passam por alguma situação na qual não estão se sentindo bem". Estou certo de que esta afirmação, feita pelo coordenador do projeto Dependentes de Internet, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, está fora de contexto e serve para induzir o leitor a concluir que as duas celebridades mencionadas não estariam felizes. E por que não estariam?
Já sei onde isso tudo termina. Em comentários absolutamente indignos sobre Lucas Lima, que se casou com Sandy, cuja declarada virgindade já se tornara uma espécie de dogma nacional — para os desocupados, claro.
Para terminar, esclareço o motivo pelo qual escrevo estas palavras. Os eventuais leitores deste blog sabem que não me interesso por celebridades e por colunismo social. Muito pelo contrário. O que me incomodou foi essa estranha relação entre manter um blog atualizado e um sentimento de insatisfação pessoal. Como procuro postar todos os dias (não o tenho feito, mas sinto vontade), agastou-me a possibilidade de ser considerado, por isso, compulsivo e permanentemente insatisfeito.
A matéria em questão não está assinada. Suspeito que também não está bem intencionada.

6 comentários:

Carlos Thiago disse...

Olá, professor-que-nos-abandonou-no-meio-do-curso!
:D
hehehe

Eu concordo que há uma, digamos, total falta do que fazer desses ditos jornalistas que se ocupam, quase que exclusivamente, em xeretar a vida alheia.

Mas, pelo menos eu, não postaria em um blog em plena lua de mel. Estaria bem ocupado.

Não penso também nessa incessante pratica sexual, com pausas programadas para refeições e idas ao banheiro hehehe.

Mas, sei lá. Tem tanta coisa pra fazer... Ver um filme juntos, fazer massagem, conversar, enfim, qualquer coisa JUNTOS. Afinal, aquele é O momento.

Acho que dá pra esperar pra contar tudo de uma vez só.:)

Abraços!

Yúdice Andrade disse...

Tens toda a razão no que dizes, CT. Exceto quanto a eu ter abandonado vocês! Um dia levarei o motivo de minha decisão para vocês conhecerem. Quem sabe, olhando para ela, vocês não me entendam melhor. E não foi na metade do curso: já se haviam passado 2/3 dele!
Abraços.

uma paixão amazônica disse...

Falar sobre isso já é uma tremenda bobagem...rsrs cada um na sua e pronto. Com mel, sem mel, melado, caramelado, pouco importa...rsrs

Beijinhos, Yúdice. Na família tb.

Yúdice Andrade disse...

Cara paixão amazônica (profundo isso!), tens toda razão: não sei porque postei isso. Na hora achei que não tinha muito a ver com minhas pautas, mas passou. Como não retiro o que já publiquei, ficou. Não se acerta todas.
Abraços e obrigado pelo carinho.

Carlos Thiago disse...

Professor, parece que a professora Cristina (nem sei se é esse o nome dela, dado ao pouco tempo que estamos com ela - rsrs) vai nos deixar também!!! Parece que ela vai assumir a UNAMA.

Sendo assim, teremos outra professora? A terceira em 4 meses? Nossa, isso provocaria danos irreversíveis ao nosso desenvolvimento acadêmico.

Sério! hehehe

Portanto, se faltava um deixa para voltar, não falta mais!
:D

Abraços, professor!

Yúdice Andrade disse...

Ahahahahahahah, tu és uma piada, CT! Só espero que, aconteça o que acontecer, esses supostos danos acadêmicos não ocorram. Abraços.